OAB repudia insinuações

A Ordem dos Advogados do Brasil repudia as insinuações infundadas usadas para tentar engavetar o pedido de impeachment apresentado pela entidade contra Michel Temer.

O pedido formulado pela OAB foi feito após ampla consulta aos legítimos representantes eleitos pelas advogadas e advogados de todo o Brasil.

Antes da votação no Conselho Federal foram consultadas as seccionais estaduais da OAB. A ampla maioria concluiu que o presidente cometeu crime de responsabilidade. No Conselho Federal, 25 bancadas estaduais chegaram à mesma conclusão.

Não houve, no Conselho Federal, um relator individual para o caso. O relatório foi elaborado por uma comissão de cinco conselheiros. No parecer apresentado ao plenário, a comissão foi unânime ao concluir pelo impeachment.

O conselheiro Flávio Pansieri, do Paraná, integrou a comissão. Ele já explicou que o áudio que circula com sua voz foi enviado por ele antes que tivesse conhecimento de fatos que o fizeram concluir pela procedência do impeachment.

A denúncia entregue pela OAB à Câmara dos Deputados é baseada em fatos, nos documentos tornados públicos pelo STF, nas entrevistas do próprio Presidente da República e na análise técnica dos representantes eleitos pela advocacia, que deram seus votos em sessão pública e amplamente coberta pela imprensa nacional.

O pedido formulado pela OAB não é baseado em insinuações. A sociedade brasileira quer seriedade na condução da coisa pública e das instituições. A OAB faz sua parte e cobra que a lei seja aplicada de forma igual para todos.

Claudio Lamachia
Presidente nacional da OAB
keyboard_arrow_up