Entrega de Carteiras: Homero Mafra conclama advocacia a lutar por justiça e cidadania

Solenidade de entrega de carteiras da OAB-ES. Foto: Divulgação.
Solenidade de entrega de carteiras da OAB-ES. Foto: Divulgação.

A defesa da justiça, da cidadania e dos direitos sociais foi enaltecido pelo presidente da OAB-ES, Homero Mafra, durante a cerimônia de entrega de carteiras a advogados  em início de carreira nesta quarta-feira (31).

Ao falar sobre a crise política do país, o presidente ressaltou a necessidade de preservar sempre a democracia. “Temos que mudar muita coisa na história deste país, mas temos que defender a existência de uma atividade política fecunda, porque isso é defender a democracia, pois a ausência da atividade política é a ditadura.”

Mafra frisou que “nesse tempo os advogados são chamados a resistir. Não é fácil ir a Brasília protocolar pedido de impeachment do Presidente Michel Temer, um dos artífices da inserção do Artigo n° 133 da Constituição da República, mas é necessário que se faça assim, porque é inaceitável que o Presidente da República escute confissão de crime e permaneça calado. É inaceitável essa relação promíscua entre a atividade política e o empresariado.”

Durante seu discurso, o presidente lembrou da terrível chacina que ocorreu no Pará, quando dez trabalhadores rurais foram assassinados. “É toda hora lembrarmos do nosso compromisso com a democracia, com a justiça e com a liberdade, em um tempo em que dez ocupantes de terra são assassinados e isso vira notícia de pé de página. Tempo em que o Governo contrata advogado para dizer que a tortura prescreve na Corte Interamericana de Direitos Humanos. Nós temos que pensar o quanto somos necessários. É inaceitável que as autoridades do Pará digam que houve confronto com um tiro nas costas”, salientou.

Após condenar tais fatos, Homero Mafra falou também sobre a maravilha de ser advogado. “Não tem coisa mais bela que a advocacia. Você restituir a liberdade suprimida, o patrimônio ilegalmente suprimido e poder dizer para aquele magistrado autoridade que ele não pode mais que a lei.”

O paraninfo da turma foi o Conselheiro Seccional Helio João Pepe de Moraes. Também compuseram a mesa a vice-presidente da Ordem, Simone Silveira, o secretário-geral Ricardo Brum, a secretária-geral adjunta, Érica Neves, o presidente da CAAES, Carlos Augusto Alledi de Carvalho, o tesoureiro da CEAIC, Elcio Cardozo Miguel e o promotor Almiro Gonçalves da Rocha.

Galeria de Fotos

keyboard_arrow_up