Representatividade

Comissão da Jovem Advocacia trabalha em projetos para enfrentamento do atual cenário




Em meio às limitações impostas pela pandemia do novo coronavírus, a Comissão da Jovem Advocacia está com diversos projetos voltados para adaptação e enfrentamento deste novo cenário dos profissionais em início de carreira. Minicursos on-line, lives para debater temas pertinentes ao mercado de trabalho e interiorização da jovem advocacia. Na área social, a Comissão da Jovem Advocacia aderiu à campanha de cestas básicas para advogados em estado de vulnerabilidade em parceria com a Comissão de Direitos Sociais realizando a logística da entrega para todo o Estado, com o apoio das Subseções.

Durante a entrevista para a série “Comissões em Debate”, o novo presidente Baltazar Bittencout fala sobre as novas ações para auxiliar a Jovem Advocacia, dos projetos futuros e também de sua missão como líder de representatividade.
Confira na íntegra

1- Como foi assumir a presidência da Comissão da Jovem Advocacia em meio às limitações impostas pela pandemia do novo coronavírus?
Certamente um dos maiores desafios da minha vida. Foi com muito prazer que aceitei esse trabalho, pois sou apaixonado pela OAB Jovem. Mas, sem dúvida, sinto o peso da responsabilidade de assumir essa missão exatamente em um dos momentos mais difíceis vividos pela advocacia brasileira, especialmente para aqueles no início de suas carreiras.

2- Como tem sido a atuação da Comissão neste novo cenário e como tem contribuído para auxiliar a advocacia durante o enfrentamento da pandemia da Covid-19?
Iniciamos movimentando nossas redes sociais e lançando conteúdo para a Jovem Advocacia. Várias “lives” estão sendo realizadas durante a semana e estamos produzindo vídeos com assuntos interessantíssimos que serão postados em breve. A comissão está finalizando, ainda, a estruturação dos minicursos on-line, que serão feitos em parceria com as comissões temáticas e a ESA, com a devida certificação. Iremos fornecer todo o apoio possível para que a Jovem Advocacia se adapte à nova realidade on-line por meio da criação de canais de dúvidas e de suporte. Na área social, ajudamos na logística da entrega centenas de cestas básicas em todo o Estado, com o apoio das Subseções, arrecadadas e fornecidas pela OAB em projeto da Comissão de Direitos Sociais, à advocacia em estado de vulnerabilidade, e agora já iremos lançar uma nova campanha de arrecadação voltada para os jovens advogados e advogadas que estão extremamente lesados com o efeito da crise. A ideia é sempre buscar caminhos e formas para ajudar, o que demanda um exercício criativo enorme e um grande enfrentamento às dificuldades impostas pelo período.

3- Centenas de jovens advogados capixabas receberam suas carteiras digitais da OAB durante as solenidades on-line. Acha que isso é um avanço nos processos que podem permanecer após a pandemia?
Muitos advogados não precisaram esperar o final da pandemia para receber sua carteira e ingressar na Ordem, e isso é de suma importância. A OAB/ES foi pioneira nesse ponto. Importante frisar que não estamos somente entregando carteiras, mas buscando caminhos para dar suporte à advocacia recém chegada. Contudo, após a pandemia, acredito que solenidades on-line devem ser de caráter excepcional. As entregas presenciais, desde que feitas com segurança e no momento oportuno, são emocionantes e insubstituíveis. Em breve, quando tudo passar, faremos encontros cada vez mais marcantes, inclusive para homenagear, presencialmente, os advogados e advogadas que receberam a carteira de forma on-line, e a advocacia que ainda está para ingressar.

4 - A Comissão da Jovem Advocacia tem novos planos para a o interior?
Temos um carinho enorme pelo interior e isso não é mais do que nossa obrigação. Ano passado viajei e tive contato com quase todas as subseções, e foi uma troca incrível de experiências. Atualmente, as distâncias estão mais curtas. É o legado do aprendizado que tivemos, e estamos tendo, com a crise. Interior e capital estão tendo acesso às nossas lives e poderão participar dos nossos cursos com certificação sem distinção. Assim que for possível e seguro, retornaremos com nossas viagens pelo Estado, com atenção especial às localidades que não são sede de subseções, e transmitiremos os cursos presenciais para dar ampla acessibilidade. Além disso, trabalharemos cada vez mais pela interiorização dos projetos, como o “Anuidade Zero”.

5 - Quais os principais temas que pretendem debater na agenda de 2020, além da nova realidade imposta pela pandemia?
Vamos buscar efetivar as diretrizes trazidas pelo plano de apoio à Jovem Advocacia do CFOAB, e criar o nosso plano estadual. Dentre os principais temas que serão abordados está a criação do piso salarial para a advocacia e a luta contra o aviltamento de honorários, além de realizar um congresso on-line com temas atuais e relevantes. Trabalharemos incansavelmente para dar efetividade a estes pleitos.

6 - Com a sua experiência de militante na Comissão da Advocacia Criminal e Política Penitenciária, qual a mensagem como líder de representatividade para os jovens advogados?
A minha experiência na Comissão da Advocacia Criminal e Política Penitenciária foi de muito aprendizado, e enfrentar as dificuldades ao lado de Manoela, Hândala e dos membros me serve de inspiração para o trabalho que busco realizar hoje, junto à OAB Jovem. O trabalho com a Advocacia Criminal e a OAB/ES me trouxe grandes exemplos, como Dra. Manoela, pela sua garra, e presidente Rizk, pelo seu carinho, honestidade e dedicação com a gestão da Ordem. Jovens exemplos de representatividade, como Diego, Ariany e Lharyssa, me ensinam diariamente em meio ao trabalho da Diretoria da comissão. Nossos membros, ao dedicarem seu tempo para a classe, me fazem nunca desistir. Então a mensagem que passo na posição de alguém que está à disposição para servir aos colegas é exatamente essa: não desista, não abaixe a cabeça, seja protagonista, e pratique a honestidade com todos que cruzam o seu caminho.
keyboard_arrow_up