CEAIC entrega Carta de Porto Alegre ao presidente Homero Mafra

Entrega da Carta de Porto Alegre
Entrega da Carta de Porto Alegre

O presidente da OAB-ES, Homero Junger Mafra, recebeu nessa sexta-feira (24) a Carta de Porto Alegre assinada pelo Colégio Nacional de Presidentes das Comissões Seccionais da Jovem Advocacia. A entrega foi feita pela presidente da Comissão Estadual de Advogados em Início de Carreira, Natálya Assunção, que agradeceu o apoio da OAB-ES nos projetos da Comissão.

O presidente da Ordem destacou a firme atuação da Comissão Estadual de Advogados em Início de Carreira da OAB-ES.  “Nós temos uma Comissão sintonizada nesses valores com um trabalho excepcional e para nós, na realidade, a Cláusula de Barreia não existe, porque, embora não esteja formalmente nos órgãos de direção da Ordem, a juventude participa, tem canal direito e é preciso que isso se mantenha, graças a excepcional presidente que temos na CEAIC.”

Sobre o conteúdo da Carta, o presidente ressaltou a importância da redução de cláusula de barreira. “Vejo a preocupação da jovem advocacia brasileira com a qualificação dos profissionais que entram na advocacia, quando a Carta se coloca contra a indicação da peça processual na segunda fase do Exame de Ordem e destaco nesta Carta a preocupação que a jovem advocacia tem com a automatização e mercantilização das instituições jurídicas, seja através de robôs fazendo peças jurídicas, que é um absurdo, ou por meio dos péssimos salários que ainda são pagos aos advogados que iniciam na atividade profissional. É muito importante ver a jovem advocacia engajada nas causas da Ordem, como no caso dessa campanha levada pelo presidente Lamachia de que voto não tem preço, tem consequência”, declarou Homero Mafra.  

De acordo com Natálya Assunção, a jovem advocacia está muito feliz de poder entregar a Carta ao presidente Homero. “Além de receber, o presidente nos dá uma palavra de apoio e temos certeza que tudo construirmos será construído por toda a Seccional, não só pela jovem advocacia.”

A presidente da CEAIC frisou que “hoje a jovem advocacia formula esta Carta porque não encontra diferenciação no Conselho Federal nem na OAB-ES. É muito bom poder fazer os projetos e ter o apoio da nossa diretoria e dos conselheiros, que sempre levam em consideração o pensamento da CEAIC, os projetos que colocamos em discussão são sempre muito bem recebidos.”

Natálya Assunção disse ainda que Carta de Porto Alegre traz alguns deveres de casa. “O Espírito Santo hoje se encontra em três grupos de trabalho para discutir a discriminação de gênero, as prerrogativas da jovem advocacia e as soluções que queremos encontrar a respeito do tratamento dos sites intermediários de diligências para que cada vez mais consigamos buscar a redução desse aviltamento de honorários.

Leia na Íntegra a CARTA DE PORTO ALEGRE

keyboard_arrow_up