Colégio de Presidentes da Jovem Advocacia aprova Plano Estadual

O Colégio de Presidentes das Comissões de Advogados em Início de Carreira, sediadas nas Subseções (CAICs), aprovou, nesta sexta-feira (25), o Plano Estadual da Jovem Advocacia para o triênio 2016-2018, que será encaminhado ao Conselho da OAB-ES. O objetivo é orientar os profissionais sobre as diretrizes, atividades e grupos de trabalho da jovem advocacia. O Colégio também aprovou seu regimento interno e das CAICs.

A reunião do Colégio faz parte da programação do 1º Encontro da Jovem Advocacia Capixaba, realizado nesta sexta (25) e sábado (26), no Hotel Golden Tulip, em Vitória. “A importância do Colégio e do Encontro é a troca de experiências e ideias e, principalmente, a interação das Subseções e advogados capixabas”, afirmou a presidente da Comissão Estadual de Advogados em Início de Carreira, Natálya Assunção, que está organizando o evento.

Segundo Natálya Assunção, durante o Colégio foram criados dois grupos para tratar da ampliação da participação do jovem advogado na Seccional, na relação dos processos éticos e processos de inscrição. Também foi formado um grupo especial para fazer a revisão do manual do jovem advogado, que será disponibilizado no site da OAB-ES.  O manual é voltado aos profissionais que estão começando a carreira.

Para o presidente da CAIC de Cachoeiro, Sebastião Hora, é de suma importância esse primeiro passo com a realização do Colégio de Presidentes das CAICs, porque é possível reunir as demandas dos profissionais dos municípios e enxergar de forma mais ampla, por meio do olhar dos presidentes. “Os temas colocados em reunião são importantíssimos para a fundamentação da jovem advocacia, atendendo ao provimento do Conselho Federal, que indicou praticamente todos os ditames que seguimos hoje para dar formalidade maior aos atos da jovem advocacia”, declarou.

Após o Colégio, os presidentes seguiram para a abertura do 1º Encontro, que registrou mais de 300 inscrições e lotou o auditório onde acontecem as palestras.

Eduardo Biondi, presidente da Comissão de Jovens Advogados do Rio de Janeiro – “Precisamos de eventos como este, porque a jovem advocacia quando entra no mercado de trabalho sofre com inúmeros fatores como a concorrência acirrada, uma enorme dificuldade com o aviltamento dos honorários, a forma como os clientes nos veem e para isso temos que ter uma OAB forte, que traga subsídios para que o jovem advogado possa se posicionar no mercado de trabalho. O jovem advogado tem que ficar mais próximo da Ordem, e é dever da Ordem envolver esses profissionais. Na verdade a OAB está abraçando esses jovens e tem esse dever com os advogados que são cuspidos no mercado pelas faculdades. A Ordem hoje mais do que uma instituição de classe é uma instituição da sociedade.”

Frederico do Vale Barreto, presidente da CAIC de Cariacica – “Tenho um ano de carreira e me sinto motivado, pensando em melhorar e ajudar os colegas na inserção no mercado de trabalho. A OAB-ES está apoiando a jovem advocacia e nós temos que assumir o compromisso de disseminar as informações e ações nos municípios.”

Mayara Borges Pereira, presidente da CAIC da Serra – “A nossa CAIC tem pouco mais de um ano e já conseguimos realizar muitas ações positivas e reunir os advogados da cidade. O Colégio de Presidentes foi muito proveitoso e engrandecedor. E para o 1º Encontro nossa expectativa é a melhor possível.”

Leonardo Negrely, ex-presidente da CEAIC – “A instalação das CAICs e agora a reunião com os presidentes foram essenciais para o desenvolvimento das ações direcionadas aos jovens advogados. Desta forma nos tornamos capazes de uniformizar as ações para todas as regiões do estado com contribuição de cada região de forma específica, conhecendo a particularidade das Subseções.”

Claudio Luis Goulart Junior, presidente da CAIC de Guarapari – “Esta é uma excelente oportunidade para os jovens advogados terem acesso a informações de profissionais do mercado na prática do dia a dia.”

Maurício Ruiz, palestrante – “A nossa parte é fazer com que as pessoas se movam na direção que elas desejam. Muitas vezes as pessoas não sabem para onde têm que ir. Na verdade os participantes que conduzem a palestra. Eu pergunto a eles qual é a maior problemática que eles têm e dou a eles a opção.”

 

 

keyboard_arrow_up